Mieloma Múltiplo Tipos Sintomas Fatores de risco Tratamentos Complicações

Mieloma Múltiplo Tipos  Sintomas  Fatores de risco  Tratamentos  Complicações informacao-de-saude

Mieloma Múltiplo Tipos Sintomas Fatores de risco Tratamentos Complicações

Um tipo de câncer que afeta as células plasmáticas, que são um tipo de glóbulo branco, é chamado de mieloma múltiplo. As células plasmáticas se originam na medula óssea, que é o tecido mole que forma o centro dos ossos ocos. Além das células plasmáticas, a medula óssea também produz outras células sanguíneas saudáveis.

Abstrato

O mieloma múltiplo é um câncer de células plasmáticas. Aqui, apresentamos um artigo que inclui seus tipos, sinais e sintomas, fator de risco, tratamento e complicação.

Se o paciente não apresentar sinais ou sintomas, o tratamento geralmente não é necessário. E para pacientes sintomáticos, várias opções de tratamento estão disponíveis para controlar a doença.

Existem dois subtipos principais de mieloma múltiplo:

* você está procurando por mais informações?? *

(informação de saúde)

Mieloma de Cadeia Leve – É quando as células do mieloma produzem imunoglobulinas incompletas (anticorpos) chamadas anticorpos de cadeia leve. 20% dos pacientes têm esse tipo.

Mieloma múltiplo latente (SMM) – É uma condição pré-cancerosa, e esta condição não resulta em sintomas. Como esses pacientes têm mais proteínas M no sangue ou mais células plasmáticas de mieloma na medula óssea, é mais provável que tenham o tipo ativo de mieloma.

Tópicos relacionados
A radioterapia aumenta o risco de melanoma?
Após a radioterapia, a pele da minha mãe ficou preta. Por quê?
Infecções de micose

Mieloma de imunoglobulina E (IgE) – Esta é a forma mais rara de mieloma múltiplo. É agressivo e progride rapidamente para leucemia de células plasmáticas.
Mieloma de imunoglobulina D (IgD) – Esta é uma condição rara, e homens com menos de 60 anos são mais suscetíveis.

Cansaço.

Dor óssea e fraqueza.

O osso fratura facilmente.

Doença ou insuficiência renal.

Anemia (glóbulos vermelhos baixos).

Leucopenia (glóbulos brancos baixos).

Infecções frequentes.
Exames de sangue – Para detectar proteínas M no sangue. E para detectar quão agressiva é a condição, o nível de beta-2-microglobulina no sangue é verificado. Além destes, hemograma total, teste de função renal, níveis de cálcio e ácido úrico também são testados.

A maioria dos pacientes não apresenta quaisquer sinais ou sintomas durante os estágios iniciais desta condição. À medida que o câncer progride, aparecem os sintomas, que variam de pessoa para pessoa. Os sintomas comuns incluem:
As opções de tratamento para mieloma múltiplo incluem:

Mieloma não secretor – Aqui, os pacientes não produzem anticorpos de cadeia leve suficientes para serem detectados em qualquer teste.

Plasmacitoma solitário – Aqui, as células plasmáticas tornam-se cancerosas e crescem de forma anormal, resultando em plasmocitoma, que é um tumor que geralmente afeta o osso.

E, em vez de produzir anticorpos que combatem a infecção, as células cancerígenas produzem anticorpos anormais, proteínas monoclonais ou proteínas M. Essas proteínas se acumulam no corpo do paciente, o que danifica os rins.

Alguns dos fatores comuns que podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver mieloma múltiplo são:

Gamopatia Monoclonal de Significado Indeterminado (MGUS) – Esta condição resulta no corpo produzindo uma proteína anormal ou proteína M, que pode ser encontrada no sangue e na urina. 1 em cada 5 pacientes com MGUS desenvolve mieloma múltiplo.

1) Tratamento medicamentoso direcionado – (Bortezomibe, Carfilzomibe, Ixazomibe) – Esses medicamentos atacam e bloqueiam a ação de uma substância específica nas células cancerígenas e quebram a proteína.

3) Quimioterapia – Os medicamentos quimioterápicos são usados ​​para matar as células que se multiplicam e crescem rapidamente, o que inclui as células do mieloma.

4) Corticosteróides – (Prednisona, Dexametasona) – Esses medicamentos controlam a inflamação regulando o sistema imunológico.

5) Transplante de medula óssea – também chamado de transplante de células-tronco é feito para substituir a medula óssea doente.

As possíveis complicações incluem:

3) Quimioterapia – Os medicamentos quimioterápicos são usados ​​para matar as células que se multiplicam e crescem rapidamente, o que inclui as células do mieloma.